Conheça os principais doadores de campanha dos candidatos ao governo do RS

Até o momento, os candidatos ao governo do Rio Grande do Sul já arrecadaram, somados, mais de R$ 9,3 milhões para gastar nas campanhas. Desse total, a maior parte foi doada diretamente pelos partidos que encabeçam as coligações, sendo as exceções as campanhas de José Ivo Sartori (MDB) e Mateus Bandeira (Novo).
O candidato que mais arrecadou até o momento foi Eduardo Leite (PSDB), que, de acordo com dados do portal Divulgação de Contas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), havia reunido até a tarde desta terça-feira (18) aproximadamente R$ 2,8 milhões. Por outro lado, a candidatura de Paulo Malheiros (PCO), havia arrecadado apenas R$ 600. Cada candidato ao governo pode registrar gastos de campanha até o limite de R$ 9,1 milhões.
A seguir, confira quanto gastaram a arrecadaram as oito campanhas ao Piratini conforme dados declarados ao TSE até o início da tarde desta terça.
José Ivo Sartori (MDB)
A campanha do governador José Ivo Sartori já arrecadou até o momento R$1.677.851,83, sendo R$1.157.351,83 de doação de pessoas físicas, R$ 500 mil de doação de partidos, R$ 10,5 mil de Recursos de Origem Não Identificadas (RONIs) e R$ 10 mil em recursos próprios. Chama a atenção o grande volume de doação de pessoas físicas recebidas por Sartori, muito acima de seus principais adversários. O principal doador da campanha até agora é Cesar Weinschenck de Faria, diretor da mineradora Seival Sul, que fez duas doações de R$ 50 mil, totalizando R$ 100 mil. O segundo principal doador de campanha de Sartori é Roberto Argenta, proprietário da empresa Calçados Beira Rio, que fez uma doação única no valor de R$ 30 mil. O restante das doações consiste em diversas transferências de até R$ 15 mil e valores menores.
Em 2017, a Seiva Sul firmou um contrato de financiamento com o Banco Regional do Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) no valor de R$ 31,58 milhões para implantar a unidade de extração e beneficiamento de carvão da Mina do Seival, em Candiota. Uma das principais propostas do governador Sartori é a privatização de empresas, incluindo a Companhia Riograndense de Mineração (CRM), que tem como um dos seus principais focos de atuação a mineração de carvão em Candiota.
No campo das despesas, a candidatura já contratou R$ 784.354,03 e efetuou o pagamento de valores equivalentes a R$445.272,76. As principais despesas foram com a gráfica Noschang, R$ 267.296 mil, e com serviços de comunicação por Karina Rehavia, no valor de R$ 130 mil.
Eduardo Leite (PSDB)
A campanha de Eduardo Leite é a que mais arrecadou até agora, já atingindo os R$ 2.792 milhões. Desse valor, R$ 2,511 milhões são oriundos da direção nacional do PSDB e R$ 210 mil do PTB, partido do vice na chapa, Delegado Ranolfo. A campanha ainda declarou ter recebido R$ 71 mil em doações de pessoa física, sendo R$ 50 mil doados por Renata Queiroz Jereissati, esposa de Tasso Jereissati, senador pelo Ceará e um dos principais caciques tucanos.
A coligação já contratou R$ 2.050.080,67 em despesas, tando pago até o momento R$ 1.444.111,42. O principal gasto até agora foi com a empresa Moreira – Conceito em Comunicação, que faz a produção de programas de rádio e TV, R$ 540 mil.
Miguel Rossetto (PT)
A campanha de Miguel Rossetto já arrecadou até agora R$ 2.292.151,34, sendo R$ 2.133.333,34 de doação da direção nacional do PT, R$ 107,5 mil vindos de outros candidatos, R$ 42,8 mil de pessoas físicas, R$ 8.368 de financiamento coletivo e R$ 150 de recursos próprios. Os principais doadores da campanha são os deputados federais Elvino Bohn Gass (R$ 55 mil), Paulo Pimenta (R$ 35 mil) e Marco Maia (R$ 17,5 mil). Nenhuma doação de pessoa física superou R$ 5 mil.
A campanha já contratou R$ 983.451,79 em despesas, tendo pago R$ 977.801,79 até agora. O principal gasto foi com a Cenaum Produções, responsável pela produção de propaganda de rádio e televisão.
Jairo Jorge (PDT)
A campanha de Jairo Jorge já arrecadou até o momento R$ 2.052.082 milhões, sendo R$ 2 milhões oriundos da direção nacional do partido, R$ 42 mil de doação de pessoas físicas e R$ 10.082 de financiamento coletivo. Nenhuma doação de pessoa física ultrapassou os R$ 6 mil.
No campo das despesas, a campanha de Jairo já contratou R$ 2.894.665,84 em gastos — portanto, R$ 800 mil acima dos valores arrecadados –, tendo pago até o momento R$ 1.001.963,20. Desse montante, R$ 1,1 milhão foram contratados junto à Casa de Criação Comunicação e Marketing e R$ 460 mil para a Jamba – Produção Audiovisual.
Mateus Bandeira (NOVO)
Até o momento, a campanha de Mateus Bandeira arrecadou R$ 457.162,00, sendo R$ 193,5 mil oriundos de doação de pessoas físicas, R$ 250 mil de recursos próprios e R$ 13,662 mil de campanha de financiamento coletivo. Os principais doadores da campanha são os empresários José Salim Mattar Junior, sócio da empresa de aluguel de carros Localiza, que doou R$ 100 mil, e Wilson Ling, herdeiro da Petropar, que fez duas doações no valor de R$ 35 mil, totalizando R$ 70 mil.
O TSE registra que a candidatura do Novo já havia contratado despesas no valor de R$ 593.314,19, sendo que R$ 432.478,73 já estavam contabilizados como despesas pagas. A principal despesa de Bandeira até o momento é com o pagamento da agência Critério Comunicação, R$ 92 mil, seguido pelas gráficas Rizzo, R$ 60,36 mil, e Gaúcha, R$ 50.361 mil.
Julio Flores (PSTU)
A campanha de Julio Flores arrecadou até agora R$ 35.420,73, sendo R$ 29.420,73 de doação da direção nacional do PSTU e R$ 6 mil de pessoas físicas, nenhuma delas superior a R$ 3 mil. Em termos de despesa, a campanha do PSTU já contratou e pagou despesas no valor de R$ 7.316 mil. O principal investimento da campanha até agora foi com Natasha Oyassana Silva, para a tradução e interpretação de libras, no valor de R$ 3 mil.
Paulo Malheiros (PCO)
A campanha de Paulo Malheiros, que se encontra em situação de indeferimento, mas com possibilidade de recurso, arrecadou apenas R$ 600 da direção nacional do PCO. Não há registro de despesas até agora.

Fonte: Sul21