PROGRAMAÇÃO AO VIVO APARTIR DAS 6:00 DA MANHÃ.
Centrais sindicais reforçam unidade no RS e formam Comando da Greve Geral de 28 de abril « Rádio Coletiva

Radio

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Centrais sindicais reforçam unidade no RS e formam Comando da Greve Geral de 28 de abril

quinta-feira, 13 de abril de 2017 - by radiocoletiva105.9 0

Em nova reunião realizada na manhã desta quinta-feira, 13, na sede da Força Sindical, em Porto Alegre, a CUT-RS e centrais sindicais decidiram reforçar a unidade e formar o Comando da Greve Geral de 28 de abril para derrotar as reformas da Previdência e trabalhista, e a terceirização irrestrita do governo de Michel Temer (PMDB). Estiveram presentes dirigentes da CUT, CTB, Força Sindical, Nova Central, CGTB, Intersindical e CSP-Conlutas.
O comando será coordenado por um dirigente de cada central e contará também com a participação de entidades estaduais não filiadas às centrais e movimentos sociais. Haverá reuniões diárias a partir da próxima segunda-feira, 17, na sede da CTB-RS, para intensificar a organização do movimento na capital gaúcha. Esse modelo será igualmente montado em cidades do interior do Estado para fortalecer ações unitárias.
“A greve geral é uma pedra preciosa para ser lapidada e, passada a Páscoa, teremos apenas oito dias úteis para isso, a fim de criar o clima e a mobilização para parar o Rio Grande do Sul contra as reformas do golpista Temer, que acabam com a aposentadoria e a CLT”, afirmou o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo.
Mobilização no Aeroporto contra a reforma trabalhista
Na próxima segunda e terça-feira, 17 e 18, a partir das 5h, as centrais estarão no Aeroporto Internacional Salgado Filho para pressionar os deputados federais, especialmente os que integram a comissão especial do PL 6787/16, que trata da reforma trabalhista. O parecer do relator, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), que prevê o negociado sobre o legislado, o trabalho intermitente e a terceirização, rasgando os direitos hoje garantidos na CLT, pode ser votado na terça ou quarta-feira.
Há três deputados gaúchos apoiados do governo Temer que são titulares na comissão: Jerônimo Goergen (PP), Jones Martins (PMDB) e Mauro Pereira (PMDB). E há dois suplentes: Alceu Moreira (PMDB) e Covatti Filho (PP). O deputado Assis Melo (PCdoB) é também suplente, mas integra a bancada da oposição ao governo.
Para Claudir, “a lista do Fachin que pede a investigações de oito ministros de Temer, 24 senadores, 39 deputados e três governadores envolvidos em denúncias de corrupção compromete o governo Temer, que, além de ilegítimo, não tem qualquer condição para aprovar reformas, que deveriam ser retiradas do Congresso Nacional e somente poderiam ser discutidas por um governo eleito democraticamente”.
No entanto, observou o dirigente da CUT-RS, “as federações empresariais, financiadoras do golpe, estão tapando o nariz e não pararam de cobrar a fatura dos parlamentares, exigindo a aprovação das reformas para tirar direitos dos trabalhadores e aumentar os seus lucros”.
“Avisamos que as eleições de 2018 estão se aproximando rapidamente e que estamos marcando na paleta quem votar contra os trabalhadores, para que os traidores sejam varridos nas urnas”, frisou Claudir.
Assembleias, comunicação e panfletagens
As centrais reforçaram também a orientação aos sindicatos para que realizem assembleias dos trabalhadores para deliberar pela participação na greve geral. Para Claudir, “o que é perder um dia para quem está perdendo o futuro”. Já houve várias assembleias, todas votando a favor da paralisação, enquanto outras acontecerão na próxima semana.
“Foi decidido também investir pesado na comunicação para romper as barreiras da mídia tradicional e dar visibilidade ao movimento”, destacou o secretário de Comunicação da CUT-RS, Ademir Wiederkehr. Além de faixas, cartazes e panfletos, haverá áudio para carros de som e mensagens nas mídias sociais, bem como coletivas de imprensa em Porto Alegre e em cidades do Interior.
Uma barraca será erguida diariamente na Esquina Democrática, no centro da Capital, com revezamento das centrais, para divulgar a paralisação e distribuir panfletos para a população. Uma grande panfletagem será promovida na próxima quinta-feira (20), véspera do feriadão de Tiradentes, na Rodoviária.
Rodoviários, metroviários e aeroviários estão na Greve Geral
Ao final, as centrais realizaram uma reunião específica com dirigentes sindicais do ramo do transporte. Rodoviários, metroviários e aeroviários anunciaram que já decidiram participar da Greve Geral de 28 de abril. Os ferroviários também serão procurados para ampliar o movimento.
“A paralisação do transporte é muito importante, pois é um setor estratégico, mas precisamos engajar todos os trabalhadores e todas as trabalhadoras dos setores público e privado, do campo e da cidade, para que ninguém trabalhe no dia 28 de abril e faça a sua parte na luta contra as reformas do Temer”, enfatizou o secretário de Relações de Trabalho da CUT-RS, Antônio Güntzel.
O presidente da CUT-RS salienta que “não temos outra saída a não ser parar o Brasil para derrotar as antirreformas do governo Temer”. Para ele, “precisamos construir um movimento forte, coeso, amplo, unificado e vitorioso”.
Assessoria CUT/Foto: Divulgação

Tags:


0 comentários:

© 2014 Rádio ColetivaTodos os Direitos Reservad